Filtro dos Sonhos

O que é Filtro dos Sonhos

O filtro dos sonhos é um afamado artefato, utilizado pela maioria apenas como objeto decorativo. Entretanto, tal artefato tem profundo significado protecional em sua origem; acredita-se que o filtro dos sonhos seja proveniente de uma cultura que tinha como religião uma das ramificações do xamanismo, o qual é focado nas práticas místicas, espíritas e mágicas. Os seus criadores, indígenas norte-americanos, dizem que os apanhadores de sonhos eram capazes de diferenciar as energias positivas das negativas, advindas dos sonhos, filtrando apenas as primeiras e aprisionando as segundas.

Filtro dos Sonhos
Filtro dos Sonhos

Como funciona?

O apanhador de sonhos é caracterizado por ser composto por uma teia em formato circular, um orifício no seu centro, além de penas a adornar as suas extremidades. O filtro retém as energias provenientes dos sonhos, as quais se dispersam no ar sem o apanhador, segundo a crença dos seus criadores; as energias ruins ficariam presas na teia do apanhador durante toda a noite, para que, ao nascer do sol, desapareçam, enquanto as boas passariam pelo orifício central a fim influenciar positivamente as pessoas do ambiente.

Qual o seu significado?

Acredita-se que o amuleto tenha o poder de impedir que as energias negativas de determinado ambiente alcancem as pessoas que nele estão. As penas utilizadas como adereço também teriam um significado, a depender do tipo de espécie de que ela é proveniente; penas de corujas, como exemplo, representariam a sabedoria, ao passo que as de águias seriam representantes da coragem. Ademais, a cor da teia também teria a sua simbologia; as teias brancas, por exemplo, simbolizariam a paz e a pureza, enquanto as teias verdes representariam a juventude, a esperança e a natureza.

Onde colocar?

Para que os filtros ajam adequadamente, eles devem ser colocados no teto do quarto, de preferência sobre a (s) cama (s), em um lugar que seja bem iluminado pela luz solar, para que as energias negativas desvaneçam quando os raios solares tocarem na teia. Há ainda muitos que dizem ser aconselhável colocar o filtro, pela manhã ainda, em contato direto com o sol.

História do Filtro dos Sonhos

Acredita-se que o filtro dos sonhos tenha se originado na cultura da tribo Ojebwa e, posteriormente, sido incorporado por outros povos. Uma marcante característica desta tribo seria a crença em que os sonhos trazem mensagens, de como proceder em determinadas situações, sobre o funcionamento da natureza, entre outras; logo, decifrá-los era uma tarefa de grande importância para eles.

Há duas principais lendas relacionadas à origem do amuleto. A primeira diz que uma aranha fiava uma teia próxima à cama de uma senhora, que apenas a observava; em certo dia, o neto desta senhora resolveu matar o inseto, entretanto, a avó o proibiu de realizar esta ação; agradecida, a aranha teria fiado uma teia na janela da velha e pedido a ela que a observasse e aprendesse a tecer os fios também. A teia seria mágica e capturaria todas as energias ruins, para que, assim, elas não fizessem nenhum mal à mulher. Emocionada com tamanha honraria, a senhora teria transmitido o ensinamento a toda tribo.

Já a segunda lenda diz que um líder espiritual estava em um monte quando teve uma visão; nesta, um espírito chamado Iktomi teria aparecido como uma aranha e começado a tecer uma teia em um círculo, e nele pendurado penas, sementes, entre outras oferendas. Iktomi disse ao homem que os ciclos da vida são rodeados por forças, boas e ruins; as primeiras orientariam para a direção certa enquanto as segundas apontariam para o caminho errado. O espírito entregou a teia ao ancião e disse que, se ele acreditasse no Grande espírito, emissor de mensagens por meio dos sonhos, a teia filtraria as boas ideias e prenderia as ruins. O ancião teria transmitido a visão a toda a sua tribo, para que todos também pudessem filtrar as suas ideias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *