Sine qua non

O que é “sine qua non”?

A expressão sine qua non, em sua tradução literal, equivale a “sem o qual não poderá acontecer”; ela é normalmente empregada para indicar um ato ou uma situação, cuja existência é indispensável para que determinada circunstância ocorra.

Sine qua non
Sine qua non

Definição de “conditio sine qua non”

Apesar de “sine qua non” ser normalmente aceito desta forma, a sentença considerada como certa pelo latim é “conditio sine qua non”, sendo a primeira uma espécie de síntese da segunda.

“Conditio sine qua non”, possui o mesmo significado de apenas “sine qua non”, ou seja, a frase indica a necessidade de certa premissa para que uma situação seja, de fato, real.

Por exemplo: para que um aluno não seja reprovado no ensino fundamental I, ele tem que cumprir uma das principais exigências do MEC (Ministério da Cultura), que é a de ser devidamente alfabetizado (a sine qua non desta situação).

Origem de sine qua non

“Sine qua non” é uma locução derivada do latim, como também a palavra Caput e fútil, o latim é um dos idiomas mais relevantes na história mundial.

Apesar de essa língua, atualmente, ser considerada como oficial apenas pelo vaticano, essa expressão é utilizada por diversos países, de modo que a necessidade de determinada circunstância seja facilmente identificada pelos participantes de conferências ou algo do tipo, mesmo que os indivíduos não falem qualquer idioma em comum.

Sine qua non no direito penal

Na jurisdição brasileira, “sine qua non” é empregado a fim de referir-se à condição necessária para que determinado ato seja ou não considerado como ilegal.

Por exemplo: para que uma pessoa seja penalizada pela participação em um homicídio, primeiramente ela tem que cumprir o sine qua non disto, que é auxiliar alguém a matar uma pessoa.

Sine qua non na teologia

O âmbito religioso representa outro campo, no qual essa sentença é bastante aplicada; nele, “sine qua non” representa as premissas necessárias à validade dos rituais religiosos.

Por exemplo: para que um homem possa se tornar um sacerdote do catolicismo, ele tem que cumprir a sine qua non imposta pelo vaticano, que é a de respeitar o celibato.

Uso do sine qua non no cotidiano

“Sine qua non”, na linguagem coloquial, vem caindo mais em desuso a cada dia, principalmente pelo fato de sua escrita e de sua pronúncia serem bastante complicadas, especialmente para aquelas pessoas que nunca tiveram qualquer contato com o latim. Porém, entre intelectuais, essa sentença é ainda bastante utilizada, principalmente pelo fato dela ser muito empregada no meio jurídico.

Inclusive, “sine qua non” não é usada apenas pelo Português ou por línguas derivadas do latim, como o francês e o italiano; a expressão é adotada também por diversos outros idiomas, tais como o inglês e o alemão.

Exemplos de frases com sine qua non

Veja, logo em seguida, duas frases, nas quais “sine qua non” é aplicado.

  • “O sine qua non para que um graduado em direito possa exercer a advocacia é a aprovação no exame nacional da OAB.”;
  • “Para que um médico possa realizar procedimentos cirúrgicos, ele tem que atender o sine qua non imposto pelos conselhos de medicina, que é o de ter uma especialização na área.”.

Pergunta Retórica

O que é Pergunta Retórica?

A pergunta retórica é um questionamento que, apesar do nome, não possuem o objetivo de realmente obter alguma resposta do receptor, tendo o intuito de apenas suscitar nestas certas reflexões.

Pergunta Retórica
Pergunta Retórica

Significado de pergunta retórica

Como explicitado, as perguntas retóricas, diferentemente do que ocorre nos questionamentos comuns, não objetivam um retorno dos ouvintes e sim as ponderações deles, logo, as pessoas que fazem as indagações já dispõem de suas respostas antes de perguntá-las.

É exatamente por isto que é comum a manipulação dessas perguntas pelo emissor, mesmo que inconscientemente, de modo que os pensamentos desencadeados no ouvinte o levem a uma resposta que o falante considera como certa. Isto serve bastante à persuasão, já que um indivíduo se torna mais propenso a acreditar em uma conclusão se ele crer tê-la alcançada sozinho. Quando uma pessoa pergunta, por exemplo, a um leigo na política “Onde vamos parar com o partido ‘X’ no poder? ”, o emissor induz o receptor a pensar que aquele partido especificamente é corrupto e maléfico.

Além disto, as perguntas retóricas podem adquirir também um significado crítico, emocional, irônico ou sarcástico, tudo a depender do contexto no qual elas são empregadas.

Origem da palavra “retórica”

A expressão “retórica” é derivada do termo “rhetorica”, palavra do latim que, por sua vez, é proveniente do dialeto grego “retorikê”, termo feminino que, em sua tradução literal, remete a diálogos e a discursos.

A maioria das palavras utilizadas vem do latim, além de retórica, as palavras caput, meritocracia, fútil, entre outras também derivam do latim.

Pergunta retórica persuasiva e pergunta capciosa

Já foi explicitado que nas perguntas retóricas persuasivas os falantes apenas querem convencer os ouvintes de algum argumento, no qual eles mesmos acreditam.

Entretanto, é comum que muitas pessoas confundam o conceito dessas interrogações com a definição de perguntas capciosas que, apesar de poderem ser classificadas como retóricas, são completamente distintas das persuasivas, já que elas têm o objetivo de enganar ou depreciar alguém propositalmente.

Um claro exemplo de uma pergunta capciosa pode ser representado pela indagação “Você realmente acha que será alguém na vida?”; nela, o receptor tem o objetivo de apenas desacreditar o ouvinte e não de convencê-lo de algo.

As perguntas retóricas no cotidiano

Além das perguntas retóricas serem bastante utilizadas nas conversas cotidianas – a fim de ressaltar, como já citado, ironia, emoção, entre outros sentimentos – são inúmeros os demais meios nos quais elas podem ser aplicadas; é possível, por exemplo, utilizá-las em campanhas publicitárias a propagandas que disseminam a igualdade racial e de gêneros, bastando apenas projetá-las da forma mais viável para os objetivos pretendidos.

Exemplos de perguntas retóricas

Veja, logo em seguida, cinco exemplos de perguntas retóricas.

  • “Como não perder a esperança nos atuais políticos brasileiros frente aos diversos esquemas de corrupção que são constantemente descobertos? ”;
  • “Que autoridade você pensa que tem para falar comigo nesse tom abusivo de voz? ”;
  • “Como sentir-se seguro se frequentemente os telejornais noticiam a violência crescente dos bandidos, que invadem até mesmo condomínios? ”;
  • “Você acha que eu seria tola o suficiente para não perceber o que se passava bem na minha frente? ”;
  • “Quantas vezes eu tenho que repetir que você tem que evitar os alimentos gordurosos se realmente quiser diminuir a taxa do seu colesterol ruim? ”.

Empoderamento

Empoderamento – Neologismos são palavras que não constam no vocabulário de determinada língua, sendo criadas a partir de dialetos já existentes ou não. Ao serem elaboradas por alguém relevante em seu cenário de atuação, é normal que essas expressões rapidamente se espalhem, sendo englobadas pelas linguagens culta e coloquial.

Um dos exemplos mais relevantes de neologismos que se popularizaram é o da expressão “empoderamento”, a qual vem sendo bastante utilizada na atualidade, principalmente frente aos movimentos igualitários que se fortalecem cada vez mais, tais como o feminismo e a luta pela igualdade racial.

Empoderamento
Empoderamento

O que significa “empoderamento”?

O mais comum é que a expressão “empoderamento” faça referência ao ato de conceder poder a si mesmo, a fim de promover a conscientização da população sobre alguma mazela da sociedade.

Origem e disseminação do termo empoderamento?

Foi o educador Paulo Freire o primeiro a utilizar a palavra “empoderamento”, com o intuito de definir o poder de conscientização que tem um grupo envolvido em algum movimento social.

Originada em 2011, a partir da palavra inglesa “empowerment”, “empoderamento” ganhou rápido destaque durante os protestos de 2013 e por meio das redes sociais, que foram os principais agentes disseminadores da expressão.

Essa palavra não é a única originada do inglês que utilizamos, existem outras como Keel Calm, Crush, entre outras.

Importância do empoderamento na sociedade

O empoderamento, por ser efetivado principalmente pelas minorias – sejam elas discriminadas apenas socialmente ou também legalmente – representa uma das principais e mais eficazes formas de se lutar contra os preconceitos, já que ele é capaz de conscientizar as pessoas de que as diferenças devem ser respeitadas, independentemente da ideologia pessoal de cada um.

Por exemplo: a pressão exercida por um grupo é capaz de ajudar a promover, por meio da conscientização da sociedade, a real conquista dos direitos daquela minoria, promovendo maior dignidade aos seus participantes e aos demais integrantes do segmento em questão.

Empoderamento feminino

O empoderamento feminino, um dos principais representantes dos diversos tipos de empoderamento, é caracterizado por ser um forte e amplo movimento, tendo muitos aderentes e bastante força no cenário mundial; o intuito dessa mobilidade é garantir que todas as mulheres tenham acesso aos seus direitos, além de conscientizá-las deles e conquistar novos.

Por exemplo: foi graças ao empoderamento feminino, antes mesmo do movimento receber este nome, que as mulheres possuem hoje o poder de decidirem sobre questões relacionadas a elas mesmas, de participarem de todos os âmbitos profissionais existentes, de se posicionarem em debates, entre outros direitos.

É importante salientar que atualmente não são apenas mulheres as envolvidas no empoderamento feminino, mas também muitos homens que entendem a necessidade de ambos os gêneros serem tratados igualmente, tal como deve ser.

Frases de empoderamento

Veja, logo em seguida, três célebres frases que representam o conceito de “empoderamento”.

  • “Sou minha mãe e minha filha, minha irmã, minha menina, mas sou minha, só minha e não de quem quiser […]” – frase retirada da música 1º de julho, composta pelo Renato Russo;
  • “Enquanto a cor da pele valer mais que o brilho dos olhos, haverá guerra.” – frase do cantor e compositor Bob Marley;
  • “Se não puder voar, corra. Se não puder correr, ande. Se não puder andar, rasteje, mas continue em frente de qualquer jeito.” – frase do ativista político Martin Luther King.

Sofismo

Significado de “Sofismo”

“Sofismo” – cuja origem relaciona-se a palavra “sóphisma”, um dialeto grego – é uma expressão empregada principalmente na filosofia, com o intuito de indicar um argumento ou uma sentença que induza a conclusões errôneas ou até mesmo agressivas e descorteses.

Porém, apesar do significado literal desse termo equivaler a “elaborar raciocínios enganosos”, é comum que, no linguajar do cotidiano, as pessoas utilizem essa palavra como sinônimo de alguns adjetivos depreciativos, tais como mentiroso, trapaceiro, dissimulado, entre outros.

Sofistas
Sofistas

Além dessa palavra, existem outras que originam do grego, como andrógeno, monogamia, entre tantas outras.

Sofismo e Sofisma

As expressões “sofismo” e “sofisma” possuem as mesmas acepções, sem muitas distinções na utilização delas nos segmentos da filosofia.

Entretanto, quando esses termos são empregados como sinônimos dos adjetivos anteriormente citados, é normal que eles sejam utilizados de acordo com o gênero do substantivo, sendo “sofismo” usado junto a nomes masculinos e “sofisma” empregado junto a substantivos femininos.

"Sofismo" e "Sofisma"
“Sofismo” e “Sofisma”

Sofismo e paralogismo

Toda vez que uma sentença é classificada como sofista, subentende-se que ela foi elabora propositalmente errada, unicamente com o intuito de iludir alguém.

O paralogismo, por sua vez, representa exatamente o contrário do sofismo, já que ele é caracterizado por ser um argumento ou um raciocínio falso que provém da ignorância, e não da conspiração, de quem o criou.

Tipos de sofismo

Na filosofia, os sofismos são classificados de acordo com suas características em categorias; veja, a seguir, quais são as principais dessas classes.

“Sofismo” de paradoxo camuflado:

No sofismo paradoxal, há duas sentenças que são tidas como válidas, mas que na realidade se contradizem. Este tipo de paradoxo é classificado como camuflado quando ele não é muito perceptível; isto pode ocorrer por diversos motivos, tal como a necessidade de conhecer a preposição que dá origem às afirmações.

“Sofismo” de possibilidades:

O sofismo de possibilidades, por sua vez, é caracterizado pela generalização dos termos “provável” e “improvável”, ao considerar-se apenas a possibilidade que mais se sobressai.

Por exemplo: há um típico caso do sofismo de possibilidades na frase “aquela pessoa não conseguirá, de forma alguma, ingressar no curso almejado, já que ela não estudou o bastante”; é claro que é improvável que o indivíduo se saia bem no vestibular contando apenas com a sorte, porém, isso não deve ser descartado.

“Sofismo” de credibilidade:

Este sofismo é definido pela afirmação de que uma sentença deve classificada como verdadeira ou falsa conforme a credibilidade da sua fonte.

Um exemplo do sofismo de credibilidade seria considerar uma nova teoria científica como válida sem a necessidade de comprová-la, apenas porque ela foi elaborada por um cientista credenciado.

“Sofismo” de estatística:

O sofismo de estatística ocorre quando uma afirmação é considerada como válida apenas pelo fato de não haver provas que a falseiem.

Exemplos de “sofismo”

  • A seguir serão exemplificadas duas frases representantes do sofismo, ou seja, duas sentenças que são falsas.
  • “Já que Charles Darwin, célebre cientista, concordou com a pangênese – teoria criada por Hipócrates para explicar a hereditariedade humana –, é certo que ela é verídica.”;
  • “Os alunos que não têm dificuldades em matemática também são excelentes em outras matérias que necessitam de cálculos, tais como química e física.”.

Tenaz

É bastante comum que uma palavra acabe adquirindo, com a sua popularização, diversos significados, os quais podem ou não se relacionar à sua acepção original. Tenaz, por exemplo, é um dos dialetos que sofreu isso com o decorrer do tempo; veja, a seguir, os significados desse termo e em quais situações ele já foi empregado.

Tenaz
Tenaz

Significado de tenaz

Na linguagem popular, é comum que “tenaz” seja majoritariamente utilizado para indicar a persistência, a teimosia ou ainda a resistência de uma pessoa ante a uma situação difícil.

Outra recorrente utilização dessa expressão seria para indicar um tipo de ferramenta parecida com um alicate, a qual tem as pontas curvas e uma grande extensão, sendo bastante útil principalmente aos ferreiros e aos serralheiros – os quais precisam constantemente manusear objetos que estão em contato direto com o fogo.

Ademais, esse termo pode ainda ser empregado para referir-se à grande capacidade de aderência de alguma coisa à outra; um exemplo de uma situação destas seria: “A supercola que comprei é muito tenaz; não consegui removê-la com nenhum dos produtos químicos dos quais disponho”.

Origem do termo “tenaz”

“Tenaz” é uma palavra derivada do hebraico, especificamente do termo “malqahayim”, o qual, em sua origem, é um substantivo que equivale a expressões como “segurar” e “recolher”.

Tenaz na bíblia

O termo “tenaz” é citado em uma quantidade significativa de vezes na bíblia – conjunto dos textos sagrados para o catolicismo –, sendo sempre empregado para indicar uma ferramenta.

Um dos momentos nos quais a palavra mais se destaca é quando um serafim – espécie de anjo – utiliza uma tenaz para apanhar uma brasa e levá-la até os lábios do profeta Isaías. Isto é feito, segundo a história, para purificar o profeta, já que ele era “um homem de lábios impuros”, designação esta que ele deu a si mesmo após uma visão.

Tenaz na arte

Na arte, as tenazes (ferramentas) são demasiadamente empregadas na heráldica – ramo artístico voltado à confecção de brasões –, a fim representar, normalmente, um ferreiro.

Sinônimos de tenaz

Os sinônimos mais relevantes de tenaz, na sua acepção de alguém ou de algo resistente, são:

  • Torquês;
  • Teimoso;
  • Aferrado;
  • Pervicaz;
  • Ferrenho;
  • Obcecado;
  • Obstinado;
  • Constante;
  • Incansável;
  • Persistente;
  • Determinado;
  • Perseverante

Antônimos de tenaz

Os principais antônimos de tenaz, ainda no contexto anteriormente citado, são:

  • Abdicador
  • Renuente;
  • Demitente;
  • Desistente;

Exemplos de frases com a expressão “tenaz”

Veja, logo abaixo, quatros frases, nas quais a palavra “tenaz” é aplicada em distintos contextos.

  • “Ricardo é uma das pessoas mais tenazes e perseverantes que eu conheço; ele tanto persistiu durante os cinco últimos anos, que finalmente foi aprovado no concurso que desejava.”;
  • “Estávamos estudando sobre as forças de repulsão e atração das moléculas quando o nosso professor de química deu o curioso exemplo de que são elas as responsáveis pela grande tenacidade nas patas das lagartixas, o que as permite subirem nas paredes.”;
  • “Gustavo foi hospitalizado por causa de uma queimadura de terceiro grau que ele adquiriu ao manusear um ferro muito aquecido; isto poderia ter sido evitado se ele tivesse utilizado uma tenaz e as proteções adequadas.”;
  • “A maioria dos metais é extremamente tenaz quando eles estão no estado sólido, sendo necessários fortes impactos para modificá-los.”.

Ledo Engano

Significado de ledo engano

Ledo engano é uma sentença empregada quando se deseja indicar um erro, cometido de maneira não intencional, que resultou em uma surpresa prazerosa, agradável.

Ledo Engano
Ledo Engano

Origem de ledo engano

Como diversas outras expressões que são ou que já foram empregadas no cotidiano, “ledo” é um adjetivo derivado do latim, o qual equivale a outras palavras apreciativas, tais como alegre e sorridente; portanto, “ledo engano” pode ser traduzido como “imprecisão feliz”.

Como essa e outras tantas palavras, mais uma dela que deriva do latim é a expressão carpe diem, veja sobre.

Acredita-se que o poeta português Luiz Vaz de Camões tenha sido o precursor na aplicação de ledo engano em um texto, já que o primeiro registro escrito que se tem da palavra é na obra “Os Lusíadas”, de autoria do poeta.

Sinônimos da palavra

Como “ledo engano” é constituído por um substantivo e um adjetivo, é natural que os seus sinônimos, em sua maioria, sigam a mesma regra e também sejam constituídos por duas palavras. Veja algumas destas construções:

  • Equívoco feliz;
  • Descuido alegre;
  • Imprecisão exultante;
  • Desatenção agradável.

Antônimos

Os antônimos de ledo engano seguem a mesma lógica anteriormente descrita, sendo compostos por duas palavras. Destas composições, as principais são:

  • Deslize infeliz;
  • Erro consternado;
  • Desacerto descontente.

Exemplos de frases com ledo engano

Veja, logo em seguida, a exemplificação de três frases que são construídas com ledo engano.

  • “O principal site de meteorologia do Estado de São Paulo anunciou que durante o feriado prologado teriam chuvas abundantes e baixas temperaturas. Ledo engano, os dias foram marcados pelo tempo aberto e pelo calor. ”;
  • “Rafael entristeceu-se ao notar que sua viagem já programada teria que ser adiada por causa da recuperação de matemática. Ledo engano, o professor lhe deu os décimos dos quais ele precisava para passar direto. ”;
  • “Como Cristina pensava que todos se esqueceriam do seu aniversário, ela teve um ledo engano quando seus familiares e amigos organizaram uma festa surpresa para ela.”.

“Ledo” como substantivo

Como explicitado, “ledo” é um adjetivo, ou seja, uma palavra que caracteriza um substantivo. Entretanto, com a popularização da sentença ledo engano – o que ocorreu durante o século passado –, muitas pessoas passaram a utilizar o termo ledo como substantivo próprio.

O normal era que as meninas fossem nomeadas de Leda, enquanto os meninos recebessem o nome Ledo. Os pais que davam essas denominações aos seus filhos geralmente o faziam por conta do significado da expressão, representando está uma forma de pressagiar alegria constante às crianças.

“Ledo engano” e o seu uso errado

É bastante comum que muitos indivíduos utilizem “ledo engano” a fim de indicar quaisquer equívocos que sejam cometidos despropositadamente, independentemente se as consequências geradas destes erros são positivas ou negativas.

Entretanto, a expressão deve ser empregada apenas para descuidos que resultem em situações alegres, tais como as citadas nos exemplos explanados, sendo quaisquer outras utilizações consideradas incorretas.

 “Ledo Ivo engano”

Outro erro comumente cometido pelas pessoas é considerar “ledo Ivo engano” e “ledo engano” como sentenças sinônimas, quando, na realidade, a primeira não é considerada válida. “Ledo Ivo engano” apenas se popularizou por conta de uma brincadeira entre Lêdo Ivo – jornalista e escritor brasileiro – e um de seus amigos.

Taxa de Natalidade

O que é taxa de natalidade?

A taxa de natalidade é caracterizada por indicar a quantidade anual de nados-vivos – seres humanos que nasceram vivos – a cada mil habitantes de uma área. Por exemplo: se em um pequeno vilarejo de 50.000 pessoas a taxa de natalidade de determinado ano equivaler a 15% (por mil), houve, durante aquele período, 750 novos nascimentos.

Esta relação, que é uma das diversas taxas demográficas existentes, foi elaborada visando à viabilidade de se mensurar a quantidade de nascimentos em determinada região durante certo período. Isto é importante, pois é um dos dados necessários para a determinação do grau de desenvolvimento das sociedades.

Taxa de Natalidade
Taxa de Natalidade

Como calcular a taxa de natalidade?

O cálculo da taxa de natalidade é bastante descomplicado, consistindo apenas na divisão do produto entre 1.000 e a quantidade de nados-vivos de um ano pelo número total de habitantes de certa área. Veja, logo abaixo, a fórmula do índice:

Legenda:

  • TN: taxa de natalidade;
  • N: quantidade de nascimentos;
  • P: quantidade total da população.

Origem de “natalidade”

Não há um registro claro sobre a origem da expressão “natalidade”, porém, o mais provável é que esse termo tenha se originado a partir de uma das línguas indo-europeias, especificamente do dialeto “natalitate”, palavra utilizada para referir-se ao nascimento de alguém.

Veja também a origem das seguintes palavras:

Taxa de natalidade: um reflexo social

Quanto menor a taxa de natalidade de uma sociedade, maior tende a ser o grau de desenvolvimento da mesma, sendo esse índice, de maneira análoga às demais relações demográficas, um reflexo dos aspectos sociais, culturais e econômicos de uma nação.

Isto ocorre, pois, essas populações normalmente conhecem os métodos contraceptivos existentes e optam por ter filhos apenas planejados, visando oportunizar as melhores condições possíveis às suas crianças. Ademais, as mulheres pertencentes a essas sociedades, em geral, possuem acesso à maioria dos seus direitos, podendo optar por investir em uma carreira profissional.

Taxa de mortalidade

A taxa de mortalidade é o oposto da taxa de natalidade, indicando, também em permilagem, a quantidade anual de óbitos em determinado lugar. Por exemplo: se em uma cidade de 100.000 residentes, a taxa de mortalidade de certo ano for de 50%, houve, ao todo, 5.000 mortes naquele ínterim.

Taxas de natalidade e fecundidade

É comum que muitas pessoas confundam as taxas de natalidade e fecundidade, devido ao fato delas terem assuntos um tanto semelhantes. Porém, a segunda é responsável por indicas apenas a quantidade média de filhos que as mulheres de certo lugar têm durante o seu período fértil.

Taxa de natalidade no Brasil

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) é o responsável pela determinação da taxa de natalidade no Brasil, o que é feito a partir de pesquisas anuais que são realizadas pelo próprio instituto.

Durante as últimas décadas, pôde-se notar que houve diminuições significativas nos índices de natalidade do país, principalmente nas regiões Sul e Sudeste, o que é consequência do maior foco no desenvolvimento dessas áreas durante as décadas anteriores. O Nordeste e o Norte, por sua vez, ainda possuem taxas elevadas, porém, verifica-se também uma atenuação delas, especialmente com a descentralização da economia, o que propicia a essas regiões um maior desenvolvimento econômico e social.

Perpendicular

Perpendicular – A matemática é uma das áreas do conhecimento mais antigas, a qual foi desenvolvida de forma aprofundada ainda pelas primeiras civilizações humanas.

Deste modo, é compreensível que muitas expressões elaboradas para esse campo tornem-se bastante populares cotidianamente, sendo empregadas até mesmo com significados diferentes do seu originário. Uma destas expressões é “perpendicular”.

Perpendicular
Perpendicular

O que é?

Perpendicular, em sua origem, foi um termo criado especificamente para a formação de um ângulo reto – toda abertura que possui uma angulação de 90º – formado por retas ou por planos que se cruzam.

Significado de Perpendicular

Este termo é comumente utilizado para designar um objeto – o qual pode ser uma peça dimensional, como o desenho simples de uma reta, ou algo tridimensional, como um utensílio físico – que incide de forma totalmente alinhada sobre uma superfície plana, formando sempre um ângulo de 90º.

Ademais, além da acepção anterior, “perpendicular” é empregado, embora isto seja raro, para referir-se a circunstâncias que não são paralelas, ou seja, que não se relacionam. Por exemplo: dizer que duas situações foram perpendiculares durante o seu desenvolvimento equivale a enunciar que essas ocorrências foram semelhantes ou se associam.

Retas Perpendiculares

As retas perpendiculares são dois segmentos lineares, cujo ponto de intersecção – o local onde essas linhas se cruzam – forma uma abertura de 90º.

Este conceito de retas é utilizado principalmente na geometria espacial – segmento da matemática que estuda a área e o volume das figuras geométricas –, âmbito essencial ao desenvolvimento de importantes setores profissionais, tais como a engenharia e a arquitetura.

Retas Perpendiculares: um exemplo de retas concorrentes

As retas concorrentes são segmentos que apresentam apenas uma interseção em comum. Deste modo, as retas perpendiculares podem ser também classificadas como concorrentes.

Porém, um ponto importante a se ressaltar é que, apesar de toda dupla de retas perpendiculares serem concorrentes – pelo fato delas se cruzarem –, não são todas as retas concorrentes que são perpendiculares, já que para isto deve haver, obrigatoriamente, uma angulação de 90º entre os segmentos.

Perpendicular e Paralelo

É relativamente normal que haja uma pequena confusão entre os termos “perpendicular” e “paralelo”, os quais são tidos como expressões sinônimas por alguns indivíduos, quando na realidade elas são antônimas.

“Paralelo” indica algo que não se relaciona de forma alguma com outro objeto, ou seja, que existe ou acontece de forma isolada. Uma das utilizações mais populares para este termo, que consiste na sentença “Universo paralelo”, representa exatamente isso: uma realidade totalmente aleatória que não se correlaciona de nenhum modo com a existência comum.

Vetores Perpendiculares

Vetor, na matemática, representa uma reta orientada, que aponta para uma direção; esta é caracterizada por possuir uma intensidade, que é denominada de módulo. Estes segmentos serão perpendiculares quando existir dois vetores, cuja soma dos módulos resulte em zero, o que origina uma figura que possui um ângulo reto.

Este conceito é importante por ser aplicado na álgebra linear – ciência da matemática que estuda as equações lineares – e na eletricidade – campo da física que compreende e desenvolve todos os fenômenos relacionados à energia elétrica.

Matutino e Vespertino

O que significa matutino?

Matutino e Vespertino – “Matutino” equivale a “período da manhã”, logo, esse termo é empregado principalmente para designar as atividades realizadas durante o primeiro período do dia.

O que significa vespertino?

Já o termo “vespertino”, que é tido como o principal antônimo de “matutino”, tem o mesmo valor de “período da tarde”.

Veja também:

Diferenças entre matutino e vespertino

O período matutino corresponde ao intervalo entre as seis e as doze horas, ao passo em que o turno vespertino começa às treze horas e termina às dezesseis, sendo esta a diferença mais relevante entre os termos.

Essas expressões são utilizadas principalmente para designar o horário de funcionamento de estabelecimentos ou ainda para informar o turno de determinado emprego ou curso.

Matutino e Vespertino
Matutino e Vespertino

Vespertino e matutino – dois adjetivos

Os adjetivos são palavras que, apesar de serem dispensáveis ao sentido de uma sentença, são importantes por torná-la mais específica, já que eles atribuem uma característica ao substantivo.

Vespertino e matutino representam duas expressões que são englobadas por essa classe de palavras, já que elas promovem a diferenciação do nome. Por exemplo: ao dizer “turno vespertino” ou “turno matutino”, especifica-se cada um, ressaltando de forma imediata suas características.

Exemplos de frases com os termos matutino e vespertino

Veja, logo em seguida, algumas frases nas quais essas expressões são aplicadas:

“Agora que o Guilherme ingressou no segundo semestre de Direito, seu turno mudou; antes era matutino, agora passou a ser vespertino. ”;

“A Sofia está detestando a necessidade de ter que estudar durante o turno matutino, mas ela entende que se tornou inviável levá-la ao colégio a tarde.”.

O termo matutino no ramo musical

Existe uma música brasileira, cujo nome é “estrela matutina”; a sua autoria é da carioca Marielza Tiscate, uma cantora espírita que tem ganhado certa relevância no cenário religioso.

Planeta Vênus

O planeta Vênus, o qual também é conhecido como Estrela do Pastor, é o segundo astro do sistema solar, apresentando uma das maiores temperaturas superficiais entre os planetas.

Planeta Vênus
Planeta Vênus

Esse astro é bastante popular pelo fato de ser possível visualizá-lo em certos horários do dia, especificamente durante a alvorada e logo após o pôr-do-sol. Por ser visível sem a necessidade de instrumentos especiais, esse planeta era bastante confundido com uma estrela e, por isto, acabou recebendo algumas alcunhas incorretas, como a de Estrela Dalva (estrela matutina) e a de Estrela Vésper (estrela vespertina).

Diurno e noturno

Diurno e noturno são termos semelhantes a vespertino e matutino, representando também os horários do dia.

“Diurno” normalmente é utilizado para referir-se a todo o período do dia, isto é, à junção dos turnos matutino e vespertino; dizer, por exemplo, que uma aula tem período integral ou diurno é equivalente a enunciar que a duração das atividades é de dois turnos.

“Noturno”, por sua vez, faz referência ao período da noite, o qual se inicia às dezenove horas e finaliza-se às quatro.

Relógio biológico

Os termos noturno e diurno são demasiadamente utilizados para designar os horários do relógio biológico de cada indivíduo. É natural que cada pessoa tenha suas próprias imposições biológicas, o que é algo genético, portanto, enquanto algumas pessoas são naturalmente ativas durante a manhã e à tarde, outras se sentem mais à vontade para realizar seus afazeres diários durante a noite.

Relógio Biológico
Relógio Biológico

Meritocracia

O que é “Meritocracia”?

“Meritocracia” é a denominação dada ao processo que visa selecionar ou privilegiar aqueles indivíduos que são supostamente mais capazes para exercer determinada função.

O que significa “Meritocracia”
O que significa “Meritocracia”

Origem da palavra meritocracia

A expressão “meritocracia”, na verdade, representa um neologismo – palavra que é criada a partir de outra – que acabou se integrando ao vocabulário de diversas línguas.

Esse termo foi criado pelo Michael Young, sociólogo inglês, em meados do século XX. Young utilizou pela primeira vez a palavra em seu livro “Rise of the Meritocracy” (“Ascenção da meritocracia”), no qual, diferentemente do que normalmente acontece na atualidade, “meritocracia” ganhou um teor negativo, pois o sociólogo estimava que no futuro as pessoas seriam reconhecidas socialmente apenas conforme sua educação e seu discernimento.

Principalmente por ser um neologismo, “meritocracia”, que deriva da expressão “mérito”, tem uma formação mista, com origens no latim e no grego. A palavra é formada pelos sufixos mereo (que deriva do latim e equivale a “ter direito”) e krátos (que é originário do grego e corresponde à “capacidade”).

Confira também sobre:

Meritocracia no Brasil

Os conceitos da meritocracia são, tecnicamente, bastante aplicados no Brasil, principalmente na realização de concursos públicos, os quais promovem a distribuição dos cargos públicos disponíveis entre os melhores pontuadores das provas, e na efetuação dos vestibulares, que permitem o ingresso em universidades federais, estaduais ou particulares.

Entretanto a realidade difere copiosamente da expectativa, já que são raros os casos nos quais ela é totalmente aplicada. Por exemplo: devido à educação pública precária do país e á marginalização dos negros, as universidades, principalmente as federais e estaduais, implementaram o sistema de cotas para estudantes de escolas públicas e negros, o que consiste na reserva de parte das vagas existentes apenas às pessoas que se encaixam nessas categorias.

Como a meritocracia consiste na classificação apenas dos indivíduos mais capazes, medidas como a anteriormente citada, apesar de serem efetivadas visando à diminuição das disparidades sociais e econômicas, acabam descaracterizando o sistema.

Meritocracia: agente de grandes discordâncias

De maneira análoga à quantidade de defensores da meritocracia, há muitos indivíduos que a repudiam, por não a considerar apropositada.

Como citado, a meritocracia tem o intuito de proporcionar a equidade ao promover àqueles que são considerados mais aptos. Porém, os intelectuais que argumentam contra esse sistema, fazem reflexões justamente quanto a isso; a principal indagação deles é a de como promover a justiça quando o progresso – seja ele social, educacional ou profissional – não depende exclusivamente do mérito.

Os opositores da meritocracia baseiam-se no fato das condições sociais influenciarem muito quanto à conquista da idoneidade. Por exemplo: um indivíduo que tenha nascido em uma família de classe média e tenha tido sempre acesso às melhores oportunidades de ensino, já não competirá, numa prova, em mesmo nível com aquela pessoa que sempre estudou em escolas públicas.

Portanto, pelo fato dos “competidores” geralmente não estarem no mesmo nível, são muitas as pessoas que taxam esse sistema como hipócrita e dissimulado.

Sinônimos de meritocracia

Os principais sinônimos de meritocracia são:

  • Aptidão;
  • Eficiência;
  • Idoneidade;
  • Capacidade;
  • Merecimento;
  • Competência.

Antônimos de meritocracia

Os antônimos mais relevantes de meritocracia são:

  • Aulicismo;
  • Cortesania;
  • Palacianismo.